NovelasTop Crítica
Tendência

“Sutileza”, “Sensibilidade” e um texto primoroso; parâmetros que marcaram a estreia de “Um Lugar Ao Sol”

A nova novela inédita das 21h, marca a estreia de Lícia Manzo ao horário nobre

O público sempre fica com a expectativa elevada, quando se trata de uma estreia de novelas, principalmente daquelas que ocupam o horário nobre, pois são tramas com mais densidade, dramaticidade e teor mais pesado.

Desde o término da última novela inédita “Amor de Mãe“, grande parte do público noveleiro, meio que ficou órfão do horário, mas também teve os que se manteram firmes no sofá, acompanhando as reprises, de “Fina Estampa“, passando pela “A Força do Querer” e terminando na última sexta-feira (05) com “Império“.

Amor de Mãe” foi a última novela inédita antes da pandemia.

Quase 2 anos sem tramas novas, na segunda(08), finalmente estreou “Um Lugar Ao Sol” da Lícia Manzo.

A trama passou por várias alterações, foi adiada inúmeras vezes, e teve até diminuição de seus capítulos, passando de 145, para apenas 107.

A novela conta a história dos irmãos Christian e Christopher, gêmeos que foram separados no nascimento e, só após 18 anos, eles descobrem sobre a existência um do outro. Um clichê dramaturgo já usado em outros folhetins. Mas, dessa vez, a autora promete uma nova roupagem no enredo.

Podemos mensurar que o primeiro capítulo foi bem ágil, bem redondinho, ou seja, a história central ficou bem esclarecida. A fotografia, foi um ponto a ser questionado pelo telespectador. Pois durante as chamadas, víamos um filtro meio azulado/roxo, que estava um pouco exagerado, trazendo um certo desconforto. Mas isso foi o de menos, pois o texto um tanto sensível, profundo e poético da Lícia, tornou o capítulo primoroso, prendendo assim a atenção de quem estava acompanhando.

Vale destacar também a ótima direção de Maurício Farias, junto da atuações de Cauã Reymond e Juan Paiva. O segundo emocionou nas sequências do Ravi.

Juan Paiva e Cauã Reymond como Ravi e Christian em “Um Lugar Ao Sol”. (Reprodução: Gshow)

E por que não falar da abertura? A abertura embalada por “Sulamericano” da Baiana-System, encheu os olhos, com frames dos personagens Christian e Renato em diversas situações cotidianas.

Embora tenha sido uma estreia com o índice mais baixo em audiência desde “A Lei do Amor“, a trama tem tudo para reconquistar o público.

Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

Conta pra gente o que vocês acharam da estreia? Aqui, nós recebemos com uma boa qualificação. Esperamos que a Lícia se dê bem como autora estreante no horário nobre e, que a sua trama conquiste ainda mais os corações dos noveleiros/as de carteirinha.

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo