Memória TelevisivaProgramação de TV

Saiba quem mais escreveu telenovelas no Brasil

Autores de sucesso!

Em um tempo em que uma novela é escrita por 6, 8, pessoas, esses novelistas abaixo, escreveram novelas, na maioria das vezes, sozinhos, ou contando com um único colaborador, que era na verdade, um co-autor. Ou seja, eram verdadeiros HERÓIS. Mas ATENÇÃO: importante ressaltar que a contagem se refere a NOVELAS EM VÍDEO TAPE. SOMENTE NOVELA (não conta teleteatros, nem séries, nem minisséries, nem novelas ao vivo).

1 – IVANI RIBEIRO

Ivani Ribeiro
Ivani Ribeiro (Foto: Reprodução)

Escreveu 48 novelas, contando os remakes que escreveu até sua morte (1995). Na TV TUPI escrevia uma novela atrás da outra e muitas vezes, escreveu duas ao mesmo tempo, usando o pseudônimo de Arthur Amorim ou Valéria Montenegro. A novelista também fez tal proeza, na produção das radionovelas.

Pouco antes de morrer, Ivani deixou a sinopse de uma novela pronta – “Caminhos do Vento”, que virou “Quem é você?” – e uma minissérie, “O Sarau”, que reuniria vários contos de Machado de Assis, e que seria produzida em 1996, tendo como protagonistas, Glória Menezes e Eva Wilma. 

Mas que acabou não sendo produzida. Ivani ainda sonhava fazer um remake de “Aritana”. Em sua longa carreira, os maiores sucessos de Ivani, foram A VIAGEM, OS INOCENTES, O PROFETA e MULHERES DE AREIA.

2 – WALTHER NEGRÃO

Walter Negrão
Walter Negrão (Foto: Reprodução)

Escreveu 35 novelas. Teve grandes êxitos na TV TUPI escrevendo ao lado de Geraldo Vietri e Chico de Assis, novelas de sucesso como ANTÔNIO MARIA e XEQUE-MATE. Inaugurou a teledramaturgia da TV BANDEIRANTES, com a adaptação de OS MISERÁVEIS.

Seu maior sucesso, talvez, tenha sido DIREITO DE AMAR, adaptado da radionovela de Janete Clair, “Noiva das Trevas”. O autor diz ter uma minissérie pronta, chamada DAMA DA NOITE, sobre a vida da cafetina Eny Cezarino, prometida já há algum tempo.

Walther também supervisionou ou assumiu a autoria de novelas que tiveram problemas no percurso, como DE QUINA PRA LUA, AS TRÊS MARIAS, A CABANA DO PAI THOMÁS, O AMOR É NOSSO, CHEGA MAIS, RODA DE FOGO (trama da TV TUPI), entre outras…

3 – BENEDITO RUY BARBOSA

Benedito Ruy Barbosa
Benedito Ruy Barbosa (Foto: Reprodução)

Supervisiona o neto, Bruno Luperi, no remake de PANTANAL, e escreveu 32 novelas. Sua estreia foi colaborando com Glória Magadan em EU COMPRO ESSA MULHER, embora não tenha sido creditado porque escrevia ao mesmo tempo, na TUPI, a novela SOMOS TODOS IRMÃOS, um grande sucesso baseado no romance mediúnico, “A vingança do judeu” sendo, portanto, esta, a primeira telenovela espírita da TV brasileira, pois falava de reencarnação.

Benedito tem grandes sucessos no currículo como OS IMIGRANTES, SINHÁ MOÇA, PANTANAL, RENASCER, O REI DO GADO e TERRA NOSTRA. Em toda carreira, priorizou tramas ambientadas no universo rural. Porém, poucos sabem que ele criou argumentos e roteirizou filmes ambientados em cenário urbano, como AMADA AMANTE e SÁBADO ALUCINANTE.

4 – LAURO CÉSAR MUNIZ

Lauro César Muniz
Lauro César Muniz (Foto: Reprodução)

Escreveu 28 novelas. É um dos autores mais cultos e ousados da TV, e marcou a teledramaturgia com obras como ESPELHO MÁGICO (uma trama cheia de metalinguística sobre os bastidores da TV, do Teatro e do Cinema), O CASARÃO (narrada simultaneamente, em três fases), ESCALADA (última novela das oito em preto e branco da TV Globo), RODA DE FOGO (primeira novela onde o protagonista já começa a trama condenado a morrer) e O SALVADOR DA PÁTRIA (uma das maiores audiências das telenovelas brasileiras). Lauro também flertou com o humor em TRANSAS E CARETAS, e supervisionou várias novelas como PERIGOSAS PERUAS, de Carlos Lombardi.

Como já dito, a postagem conta o número de novelas em videotape – e Ivani Ribeiro sai na frente. Todos obviamente, escreveram outros formatos, como casos especiais, minisséries, seriados, teleteatros.

Porém, mesmo assim, Ivani é campeã em número de estórias para a teledramaturgia, mesmo falecida há mais de vinte anos. Inclusive, Ivani é a autora que mais escreveu radionovelas no Brasil e talvez, do mundo. Muitas dessas radionovelas, ela adaptou para a televisão, assim como fez Janete Clair.

Por Michel Luiz Castellar

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo